NACIONAL

Senador quer investigação de Toffoli e fim de foro privilegiado: “As estruturas estão podres em nosso país”

Em pronunciamento ao Senado, Girão pediu que o STF faça seu trabalho sem corporativismo.

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) comentou sobre o pedido da Polícia Federal para que o Supremo Tribunal Federal (STF) investigue a conduta do ministro Dias Toffoli, acusado pelo ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, de receber propina para dar sentença a favor de réus.

Em pronunciamento ao Senado, Girão pediu que o STF faça seu trabalho sem corporativismo.

“Vai ser a redenção do povo brasileiro, quando a gente abrir essa caixa preta”, afirmou, acrescentando que o grande problema do Brasil, hoje, é o foro privilegiado, que permite que se mantenha uma curva infinita em que senadores protegem ministros do STF e ministros do STF protegem senadores.

“É uma omissão nossa, covarde do Senado que, simplesmente, não quer olhar para isso há muito tempo”, revelou.

E apontou que investigações corretas fortaleceriam o Judiciário e o Supremo do Brasil diante à opinião pública.

“As estruturas estão podres no nosso país e a população precisa saber de toda a verdade; inclusive, na CPI da pandemia”, finalizou.

Jornal da Cidade

Botão Voltar ao topo