REGIONAL

Prefeita, Câmara Municipal, PDT e OAB repudiam agressão de vereador contra advogado em rádio de Catunda

Repercutiu em todo o Ceará e porque não dizer, em todo o país, as cenas de agressão ocorridas nesta segunda-feira (17), dentro do estúdio da rádio Planalto FM em Catunda, praticadas pelo vereador Thiago do Ivan (PDT) contra o advogado Ronaldo Feijão, no momento em que ia ao ar um programa do Sindicato dos Servidores Públicos.

A confusão aconteceu logo após o advogado citar na rádio que o vereador havia dado um voto desfavorável aos servidores na Câmara Municipal e foi transmitida através das redes sociais.

A prefeita Ravenna Lima, que também é presidente municipal do PDT, se manifestou por meio das redes sociais e disse que “não coaduna com qualquer tipo de violência e que o fato trata-se de questão personalíssima entre os envolvidos, não representando a ideologia do partido ou qualquer questão político-partidária”.

Mesma postura da gestora foi adotada pela Câmara Municipal, por meio da presidente Lindomária Muniz, afirmando que “a Casa não compactua com nenhum tipo de violência e que a questão é pessoal entre os envolvidos, fora do exercício das suas funções”.

O diretório estadual do Partido Democrático Trabalhista condenou “veementemente qualquer tipo de ato de violência em um ambiente onde deve prevalecer o debate respeitoso de ideias, assim como o direito à liberdade de expressão” e acompanhará a investigação junto às autoridades para posterior avaliação intrapartidária”.

Em nota, a direção da Planalto FM disse que “lamenta o episódio e entende que a capacidade do diálogo norteia a boa convivência”. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE) de Sobral também lançou nota em repúdio, “informando que todas as medidas legais cabíveis estão sendo verificadas junto ao colega ofendido e serão tomadas com o devido rigor e apoio da OAB Subsecção Sobral, nas esferas disciplinar, cível e criminal”.

O vídeo também foi compartilhado nas redes sociais por políticos como a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) e o deputado estadual André Fernandes (Republicanos), mencionando Thiago como correligionário de Ciro Gomes, filiado ao partido, no afã de atacar o pré-candidato a presidente da república.

Versões

Após o episódio, o vereador justificou em entrevista o episódio. “O que aconteceu foi que perdi o controle, a paciência, ele tomou a mim como uma questão particular. Foi a calúnia, ele mentir e dizer que eu pedi para professores retirarem os processos e as causas movidas contra a Prefeitura de Catunda e eu não pedi, eu sou professor. Se eu nunca fiz esse pedido para as pessoas e se nunca foi um iniciativa minha, como ele tem coragem de ir numa rádio e levantar uma mentira dessa contra mim?”, questionou.

Ronaldo disse que o sindicato tem reivindicado alguns pontos do Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 379/2021  —  que prevê mudanças no regime jurídico dos servidores, incluindo a licença prêmio. Nesse contexto, as críticas têm sido direcionadas aos vereadores que votaram a favor do projeto, que, segundo ele, “retira os diretos dos servidores”. “Nós já estávamos com 17 minutos de programa. Eu estava comentando os processos judiciais e os votados por ele e outros da Câmara”, disse. O profissional registrará um Boletim de Ocorrência e deverá entrar com ações nas áreas cível e criminal. 

A Voz de Santa Quitéria

Botão Voltar ao topo