DESTAQUESMUNDO

Testemunha relata que soldados pularam antes de avião atingir solo nas Filipinas

Número de mortos no acidente com o avião da Força Aérea filipina subiu para 50; aeronave caiu ao sul do país neste domingo (4)

Cinquenta pessoas morreram na queda do avião da Força Aérea das Filipinas no sul das Filipinas neste domingo (4), o pior desastre aéreo militar do país em décadas.

O avião militar C-130 transportava tropas de Cagayan de Oro, em Mindanao, para a província de Sulu, quando perdeu a pista da ilha de Jolo, informou a afiliada CNN Filipinas, citando o chefe das Forças Armadas, Cirilito Sobejana.

O avião, que transportava 96 militares e tripulantes, caiu na vila próxima de Patikul às 11h30, horário local (23h30 horário de Brasília), neste domingo.

“Minutos após o acidente, soldados e voluntários civis correram para o local para busca e resgate. De acordo com testemunhas, vários soldados foram vistos pulando da aeronave antes que ela atingisse o solo, poupando-os da explosão causada pelo acidente.” de acordo com um comunicado de imprensa da Força-Tarefa Conjunta Sulu.

Todas as vítimas já foram contabilizadas. O general Edgard Arevalo, porta-voz dos militares, disse que 47 militares morreram, enquanto 49 sobreviveram ao acidente e estão sendo tratados em hospitais. Três civis morreram e quatro ficaram feridos, disse Arevalo.

Ele acrescentou que os soldados no vôo eram recém-formados e tinham acabado de concluir o treinamento militar.

Uma equipe investigativa chegou nesta segunda-feira (5) para procurar o gravador de dados de vôo do avião e investigar o que causou o acidente. Eles também examinarão os relatos de soldados que saltaram do avião.

Imagens de uma estação de TV local mostram os destroços do avião em chamas e a fumaça espessa saindo da vila. Uma grande nuvem de fumaça é vista nas imagens do acidente.

O comandante da Força-Tarefa Conjunta Sulu, William N. Gonzales, disse que o pessoal que viajava no avião “deveria se apresentar aos batalhões hoje. Eles deveriam se juntar a nós em nossa luta contra o terrorismo”.

Este é o pior desastre aéreo militar do país em cerca de 30 anos, informou a Reuters. Em 1993, um C-130 da Força Aérea das Filipinas caiu, matando 30 pessoas.

A aeronave Lockheed Martin C-130 havia chegado recentemente às Filipinas. Foi uma das duas aeronaves concedidas pelo programa de financiamento militar do governo dos EUA, de acordo com um anúncio do site do governo dos EUA em fevereiro.

O avião foi considerado em boas condições. Ele tinha 11 mil horas de vôo restantes antes da manutenção.

Todos os C-130s nas Filipinas serão aterrados como parte do procedimento operacional padrão dos militares. No entanto, os militares têm apenas um outro C-130 no país – os outros dois da frota estão no exterior para manutenção.

O acidente deste domingo ocorre semanas depois que um helicóptero utilitário Black Hawk recém-adquirido S-70i caiu durante um vôo noturno a cerca de 60 milhas ao norte da capital Manila. Todas as seis pessoas a bordo morreram, de acordo com a CNN Filipinas.

Foi um dos vários novos helicópteros utilitários de combate comprados pelas Forças Armadas em sua tentativa de modernizar sua frota, de acordo com um site do governo filipino.

Os militares deveriam apoiar os batalhões que lutam contra Abu Sayyaf, um grupo jihadista filipino baseado em Sulu que está envolvido em ataques a bomba e pirataria há décadas. O grupo proclamou lealdade ao ISIS em 2014.

(Esse texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui)

Sophie Jeong e Yasmin Coles, CNN

Botão Voltar ao topo