CEARÁDESTAQUESPOLICIALREGIONAL

Justiça revoga prisão de mulher suspeita de mandar matar o marido

A Justiça da Comarca de Canindé, concedeu nesta segunda-feira (11) a liberdade provisória de Maria Aparecida Barroso, de 36 anos, presa cautelarmente suspeita de mandar matar o companheiro Jaelson Camelo de Oliveira, de 39 anos.


Aparecida deixou a Delegacia de Canindé agora a noite sob aplausos. Um grupo de mulheres com faixas “Liberdade Para Aparecida Barroso” foram para frente da Delegacia, aguardar ansiosas e felizes pela saída de Aparecida.  


Segundo a sua advogada, Renata Fonseca, que desde o início da prisão trabalhou incansavelmente pela liberdade de sua cliente, Aparecida está bastante abalada, sem condições de conceder entrevista.


Advogada explica que Aparecida colaborou com a polícia, não tem antecedentes criminais, tem um filho menor de idade, residência fixa e atende os requisitos para responder o processo em liberdade. “Ela está sendo liberada com algumas medidas cautelares, mas nada que não possa ser cumprido, e será com toda certeza e ela acompanhará o processo nos trâmites determinados pela autoridade judiciária” explica.

Dra. Renata informou ainda que tudo que sua cliente queria era ver o filho, ainda mais por amanhã ser o Dia das Crianças. “Ela ficou muito feliz, muito grata a Deus, porque amanhã é o dia das crianças. Ela queria muito, muito mesmo passar essa data com o filho”, disse a advogada.


Para a liberdade, o juiz da Vara Criminal de Canindé, impôs algumas medidas cautelares, como: a proibição de se ausentar da comarca; se recolher em casa até às 19h, entre outras. Ela não fará o uso de tornozeleira eletrônica.


Entenda

Aparecida e Antônio Herilson da Silva Lopes, 26 anos, foram presos temporariamente por decisão da justiça, no último dia 27 de setembro.

Segundo Daniel Aragão Mota, delegado responsável pelo caso, a mulher, Aparecida Barroso, descobriu que Jaelson mantinha um segundo relacionamento, envolvendo a própria filha, que hoje tem 20 anos. Apesar de a morte da enteada não ter sido encomendada, ela acabou se ferindo por estar no momento do crime. Pai e filha foram baleados e seguem hospitalizados. A tentativa de homicídio ocorreu em junho deste ano, no bairro Palestina.


Com informações de Wellington Lima

Botão Voltar ao topo