DESTAQUESMUNDO

China tem a pior taxa de emprego da última década

País já enfrentava uma desaceleração do mercado imobiliário, e outras preocupações nos setores de tecnologia, educação e geopolítica

Mais de dez milhões de recém formandos chineses enfrentam a pior taxa de desemprego da última década, pouco mais de 18%. Conforme noticiou a agência de notícia Reuters nesta quinta-feira, 23, as rigorosas restrições no país aumentaram ainda mais os problemas econômicos.

“O contrato social do governo com o povo era ‘fique fora da política e nós te garantimos que a cada ano você vai estar melhor”, disse Michael Pettis, professor da Universidade de Pequim. “Sem essa garantia, o que pode acontecer?”

A China já enfrentava uma desaceleração do mercado imobiliário, entre outras preocupações nos setores de tecnologia, educação e geopolítica. O desemprego da juventude pode colocar em xeque a tentativa de reeleição de um terceiro mandato do ditador Xi Jinping (Partido Comunista Chinês), presidente da China.

Segundo a Randstad, empresa de recrutamento chinesa, o nível de desemprego no país é o pior desde a crise de 2008 e 2009. Neste ano, as novas contratações caíram entre 20% e 30% em relação ao ano passado. A estimativa é que o déficit tenha sido de pouco mais de 6%.

Li Keqiang, primeiro-ministro da China, disse que estabilizar o mercado de trabalho para os formandos é uma das prioridades do governo. De acordo com ele, as empresas do país vão abrir novas vagas de emprego para os recém graduados. Além disso, outras oportunidades vão ser destinadas aos demais trabalhadores da China.

Revista Oeste

Botão Voltar ao topo